A noite das amigas

O nevoeiro cerrado dava-lhe cobertura, do meu posto de vigia, escondida atrás do volante do carro alugado, estava demasiado distante para não falhar. Chegara ali há 2 horas, depois de a seguir discretamente.

Segundo as informações que tinha, tratava-se de uma rotina. Todas as quintas-feiras, saía de casa depois do jantar e regressava pouco depois da meia noite. Era “a noite das amigas”. O marido saía às terças, contara-me ele, sentado em frente à minha velha secretária. Faziam-no há muito tempo pelo que confidenciara. Foram pais muito cedo, fruto do que apelidou de noite de copos… a solução para o caso veio com um casamento. Tinha sido após um ano de vida em comum que a ideia tinha surgido, todas as semanas tinham saídas com os amigos, em dias separados, para que a filha não ficasse sozinha.

Contara-me ele, num tom de lástima, que começava a desconfiar da mulher, a rotina que mantinham como casal era grande e no fundo nunca se amaram, mas pela família, sempre lhe deu o melhor de si, mas agora… se as suas suspeitas fossem reais… afinal um homem tem a sua dignidade, rematara ele na altura…

Estava ansioso por desmascarar a mulher e eu entendi o porquê! Já ouvira antes, naquela mesma semana um discurso idêntico.

Quando a luz do r/c da vivenda se acendeu, soube que o momento chegara e saltei do carro com ligeireza, aprendera com o tempo e a experiência a usar as sombras da noite, e a aparente desvantagem do nevoeiro, jogava agora a meu favor. O bairro adormecido deixá-la-ia confiante, descuidada. Parei em frente à porta, a cerca de 6m. Encoberta pela noite e pela laranjeira cujos ramos carregados, pareciam tocar o chão.

Tinha que ser rápida, a oportunidade era excelente e terminar aquele serviço parecia-me fácil. Pelo vidro fosco da porta via as silhuetas desfocadas. Olhei uma vez mais o relógio, passavam 3 minutos da meia noite. Tudo conforme o previsto. Sorri.

Claramente  vi a aproximação à porta, respirei fundo e fiquei ali, pronta a disparar. Aconteceu poucos segundos depois, num flagrante perfeito, nos braços da amante.

Nessa noite, depois das fotos impressas, não evitei a gargalhada! Que ironia!

Mal podia esperar pelo dia seguinte, pelo momento em que os dois, ambos meus Clientes, ficariam com a sua própria homossexualidade e traição exposta.

Imaginei os seus olhos a arregalarem-se de espanto… eu apenas os unira…

29 thoughts on “A noite das amigas

  1. (wallace)
    tens uma habilidade extremosa de relatar histórias…!
    este “conto” tem continuação, espero ansiosamente…!
    bjsss

    (milton)
    olá.
    nova roupa.fine.

    P.S. não devias ter “sorrido”🙂

  2. Não é à toa que um certo individuo diz as tuas palavras o excitam😉

    Tens um cuidado especial a escolher cada uma delas.

    i like it!

  3. Wallace,

    Não sei se tem continuação, veremos. Mas obrigada pelas tuas palavras.

    Milton,

    Roupa nova sim, algum reparo?

    Eu sorri, pq além de ser uma situação curiosa, eu era uma detective hávida de sangue…

    Beijinhos ao Wallace, bem vindo Milton!

    Ana,

    Obrigada Ana.
    Não me digas que tb te excito…😀
    Obrigada pelo comment!

    Beijinhos

  4. Ana,

    Espera… não é bem… hum… tenho que me esforçar então! OH PÁ!!!
    Assim dá mt trabalho, ficamos pelos textos…😉

    Beijokitas e um bom dia para ti!

  5. Ana,

    Diverte-te, parece-me que andas a precisar. Faz umas compritas… é uma terapia e tanto. Sei que parece fútil e tlv até seja, mas gaja que é gaja gosta de gastar dinheiro e pronto!
    Eu adoro, e como gasto SÓ o que é meu…
    Hum… que inveja que eu tenho agora…

    beijinho.

  6. Marta,

    Obrigada pelo convite para este novo cantinho!

    Deixa-me dizer que concordo com os comentários anteriores quando dizem que cativas pela tua escrita. E também gostava que o conto tivesse continuação. Que tal de ideia?

    Beijocas e bom fim-de-semana!

  7. Carracinha Linda,

    Bem vinda a este novo aqui!
    Obrigada, começo a corar!🙂
    Agora o conto… hum… a ver vamos… prometo pensar com carinho na sugestão!

    Beijocas e bom fds!

  8. Primota,

    Cá estou eu… (como sabes eheheh – isto do big brother, não sei não… tenho que passar menos vezes :S )

    Quando li este teu comentario pensei: “A Marta está de volta… E voltou em grande!!”😀

    Há muitas pessoas a seguirem o que é “politicamente correcto”: um marido, filhos, um emprego… tudo dentro dos parametros que uma sociedade exige e depois… andam com uma segunda vida. Quantas “noite das amigas” não há por aí?? Quantas “noites de amigos”?? Quantas noites de “não sei o quê” que as pessoas têm e que… acontecem uma, duas, três vezes e que depois vão ficando durante anos, ficando a vida inteira…

    Um novo grande post bem ao estilo da Marta. Há que perceber o que está por trás… Minha querida, não peço que continues a historia, porque provalvelmente não tem continuação, peço apenas que continues a escrever sobre estes assuntos, estas “mãos na consciência” como já fazias no outro aqui. As pessoas hão-de te perceber, acredita que algumas poderão a passar a faze-lo.

    A tua nova casa, como nova ainda tem muita coisa para organizar, mobilar, fazer a decoração e, claro que, habituares-te ao espaço… Mas acontecerá sim porque é aqui que receberás os teus amigos que sempre te acompanham.

    Um beijo cheio de carinho para ti e um abraço apertado

  9. Porque te amo,

    Bem vindo. Volta qd queiras, apenas se te der vontade. Como li hj em qq lado, só se deve fazer se tivermos com vontade. Mas vir aqui não tem malefícios de maior… digo eu!🙂

    beijo

    Primota,

    Eu sei que entendes os propósitos com que escrevo, apesar de “mão na consciência” tlv ser demasiado. Dou opiniões, falo do que muitas xs não conheço, sou politicamente incorrecta! E sabes que mais? GOSTO!!!😉
    Os meus textos têm uma boa parte de critica sim… enquanto for tendo ideias e criticas a fazer!
    Obrigada querida!

    Cátia, não sei para quem era verdadeiramente a critica, se para eles que se revelaram cobardes… se para a família que os “obrigou”, se para esta vidinha de faz de conta que muitos temos que fazer… pq falar é bonito, mas qd estamos nós com o rabo preso… uiiii!

    O excitar… aiiii… já te tinha dito para tirares senha. Tiraste? (repensei aquilo da cunha🙂 )

    Beijinhos e aquele abraço!

    Mina,

    Bem vinda e obrigada… sei que não mereço isso tudo, mas os tempos não são bons e que sabe bem… lá isso não nego😉
    bom fds.

    Beijinhos

  10. Falo em mão na consciencia sim… falas e pensamos sobre isso… Se acabamos por ficar com o rabo preso ou não… isso já é outra historia, mas pelo menos durante estes 5 min em que te leio penso que “eu não quero”! A familia, os amigos, os conhecidos, os vizinhos e a sociedade em geral são os maiores culpados destas “noites”, deste fugir… é tão dificil lutar contra tudo e contra todos que acaba-se por ceder, não é verdade??!

    És politicamente incorrecta?! E então?? Não é bom?? Pelo menos dizes tudo o que te apetece… Eu gosto de o ser também. Não o faço com a mesma frequencia que tu, nem com as mesmas palavras ou intensidade… Eu de jeitinho toco lá…😉 Mas fiquei na duvida… Quem me escreveu o comentario anterior… Foi a “só” a Marta??

    Prima, eu tirei a senha sim… mas tinha esperanças que repensasses… Aconteceu?? Posso pedir a tia?! vá láaaaaaaa………😀

    Beijo grande pa ti

  11. Cátia,
    😀 lol
    Pede lá à tia o que quiseres… fedelha… puff… 😉

    Eu tb penso “eu não quero”, já dei muito murro na mesa, mas tb já fui tão cobarde… sei lá eu!

    Sou politicamente incorrecta e gosto, nunca o neguei, aliás, até acho piada qd alguém fica chocado comigo… há quem se choque com pouco, mas sei que por vezes me estico à grandalhona… enfim… tlv aprenda com o tempo a ir lá com jeitinho! (sei que o fazes e gosto disso)

    O comentário anterior foi a Marta que o escreveu, ou eu… sei lá… tu não me baralhes!

    Beijossssss😉

  12. No início, foi a excitação de te saber de volta. Depois a leitura sôfrega de cada palavra numa corrida tresloucada até ao imaginado desfecho. Reli.

    Dei comigo a sorrir. É bom estares de volta.

  13. Passo… venho ver novamente a tua casa… Tenho passado a correr… sinto-me visita ainda e não tenho ido à descoberta.

    Hoje venho de mancinho, sei que me vez, mas não faz mal, sei que não te importas… Corro devagarinho o corredor, e vou entrando divisão após divisão… entro, olho, fico a interiorizar e continuo. Chego a cozinha de onde olhavas-me serenamente. Olho para ti, venho com olhos de “passarinho”, e tu fazes o teu sorriso terno… Sento-me a olhar para o nada. Vais até ao frigorifico… Já vi este gesto tantas vezes numa outra casa….!! Nesta é a 1ª mas de muitas certamente. Tiras do frio um bolo. Está por estrear ainda, mas sorris e cortas uma fatia, tiras dois garfor e sentas-te à minha frente. Partilhamos em silencio a tal fatia. Às tantas já estou toda suja de chocolate. E tu ao tentares limpar-me sujas-te tambem um pouco. E aí rimos… Rimos muito (eram os nervos a sair…). No final de rir, e de nos limparmos, então abraças-me de mancinho mas com força e segurança. É quando desabo e choro…

    Beijinhos grandes e um abraço apertado

  14. S,

    Bem vinda e obrigada!
    Fico contente que tenhas gostado da história.
    O teu comentário está… muito bom de ser lido!🙂

    Beijinhos

    Primota,

    Vi-te chegar, pé ante pé… esperava-te. Depois, qd te distraiste e começaste a correr sorri, estava na duvida se te irias sentir confortável e o facto de correres fez-me feliz.
    Tinha o bolo à tua espera, já me tinha apetecido uma fatia, mas achei que gostarias de o ver inteiro. Por isso esperei-te.
    Gosto de te ver a devorar o meu bolo, a espalhar a calda pelas tuas roupas, às vezes faço um ar sério, mas tu sabes que acabamos sempre a rir!
    Só não gosto do teu choro, mas sei que precisas chorar, aperto-te um pouco mais, quero que me sintas forte, ali, presente… quero que te sintas segura. A casa mudou, mas a prima é a mesma!

    Beijinhos e aquele abraço, mais um, e outro, e os que foram precisos…

  15. Olá Menina!
    Rosto lavado – bem bonito, gostei!
    Obrigada pelo teu convite!
    Sabes que as tuas palavras são sempre bem vindas, gosto de as ler como sabes…
    Alguém mandou-te um beijo… diz que te leu e que adorou! Pede para continuares🙂

    Um beijinho amiga, sinto-te feliz😉

    =^.^=

  16. Olá Tarina!

    Bem vinda ao novo aqui! Obrigada!
    As tuas palavras tb são bem vindas e tb te sinto mais feliz, gosto disso!
    Um beijinho para alguém… gosto que esse alguém tenha gostado! Vou continuar…

    Beijinho grande e um bom fds, amiga.

  17. Nem que seja pra gastar o dinheiro que não tenho hehe

    Foi giro! Lisboa continua a mesma loucura de sempre. Carros impacientes. Pessoas apressadas.
    Mas fez.me bem. Andei bastante a pé. Queimei calorias e ainda vim de lá com…tchanam (!!).. mais um par de sapatos… parece que a minha terapia não esta a resultar. Continuo a não resistir ao calçado…

    =**

  18. Ana,

    Deixa lá isso, a terapia é o poder comprar, é o ceder à tentação… 😉
    Lisboa está na mesma… acho que sim, como está Évora??? Tenho saudades do meu Alentejo!

    Beijinhos e bom fds, com sapatito novo!😀

  19. Pingback: Olhar para trás « Mas afinal como!?

  20. Cd,
    🙂
    Este teu texto, fez-me lembrar que há já algum tempo que não escrevemos nada juntos… apetece-me mudar isso!

    Bom fds.

    Beijo!

  21. Quer dizer que és minha conterranea? haha que giro!
    Évora está a mesma cidade. Quer dizer, ultimamente, para onde quer que olhes só ves obras por todo o lado. Mas o espirito académico esta cada vez melhor.😉 E, para mim, continua uma cidade lindissima!

    Vim só responder.te, agora vou ler ai o texto de cima…

  22. Casamento de conveniência. Não sou contra, cada um faz o que quer, desde que seja com consentimento das duas partes e isso só acontece quando deixam de mentir a eles próprios…

  23. Cris,

    Eu acho que cada um joga os jogos que quer. Eu gosto de jogar ao berlinde, outros preferem a cabra cega, há ainda os apreciadores do mata, os que saltam à macaca… enfim, há jogos para todos os gostos e feitios. Acho muito bem. Eu só acho mal, quando um ou mais jogadores desconhecem as regras, ou pior, nem suspeitam que estão a jogar!
    Estes dois textos foram escritos para o tema “ironias”. Achei que seria uma ironia muito grande se as suas vidas duplas, se as suas traições apenas os unissem. E como tu disseste passassem a não mentir a eles próprios! Mas apenas a eles próprios, porque mentir ao mundo era preciso, não fosse acontecer algum cataclismo ao som da verdade.

    Beijinhos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s