A noite das amigas – vista por ela…

 

Cresci numa casa grande, cheia de valores e de VALORES, e confesso que nunca foi o dinheiro ou o conforto que me incomodou… mas ainda assim, trocá-los-ia pelo carinho que não recebi, não como precisava.

Senti-me em muitos momentos como as focas que nadam com o tratador em troca de uma sardinha, isto, se o número correr bem…

Tentava de tudo por um carinho, um incentivo. Comia direita à mesa, nunca falava com a boca cheia, nunca levantava a voz, haha, levantar a voz… eu não me atrevia sequer a levantar o olhar, enfim…

Fui uma aluna exemplar e vestiam-me com folhos e laços ridículos, acompanhados do belo sapato de verniz. Respeitava o “museu” em que vivia, nunca me lembro de partir um único objecto, aliás, eu nem sequer lhes tocava, tal o medo que vivia em mim.

A adolescência, foi vivida em casa, menina comportada e de família não andava pelas ruas como uma qualquer… quando entrei na faculdade, continuei a viver naquela casa… grande… fria… fiz poucos amigos, não tinha tempo, não me deixavam ter tempo. Fui prisioneira do quarto cor-de-rosa! Nessa altura pensei fugir… não era aquela a vida que queria, mas era só aquilo que conhecia… ouvia tantas e tantas vezes que tinha sorte, que acabei por acreditar. Fiquei! Não podia desapontar quem me dava tudo, tudo o que o dinheiro podia comprar!

Numa das minhas poucas saídas, se a memória não me falha, a terceira, bebi um pouco, acho que nem foi muito, apenas o suficiente para ficar embriagada e perder parte do medo… nessa noite, no banco de trás do carro dele, perdi a virgindade, nessa noite… fiquei grávida, de alguém que mal conhecia… o meu único momento de rebeldia, fez-me perder a última esperança de liberdade!

O escândalo foi abafado casando… um casamento que eu não queria… mas não podia ser rebelde, não sabia… resignei-me…

Fui feliz quando peguei nos braços a minha filha… e prometi fazer com ela tudo diferente, falar-lhe abertamente, educá-la em liberdade… sei que falho a cada dia, ainda é o medo que me move…

A mulher da minha vida eu conheci por acaso… nunca a vi como mulher, apenas como alguém que me entendia, que me apoiava, que me amava… não foi de todo fácil aceitar racionalmente, nunca me ocorreu sequer assumir-me, mas um dia, ouvi uma frase que nunca esquecerei e que mudou a minha vida.

“Nós não amamos mulheres ou homens, nós amamos pessoas!”

Não posso em verdade dizer que o meu marido não me apoiou, afinal ele foi tão vitima quanto eu, no entanto quando percebi a sua ainda maior distância em relação a mim, vi aí a oportunidade de me “livrar” dele… por ironia, ficamos cúmplices!

Já passaram mais de 6 meses, desde aquela manhã, no gabinete escuro daquela mulher… recordo com nitidez o seu sorriso sarcástico… o meu pavor e o dele ao sermos descobertos.    

 

Quando voltámos a casa, tivemos a nossa primeira conversa de amigos, ninguém podia culpar ninguém e a nossa vida melhorou. Continuamos juntos para a família e os “amigos”, mas somos mais livres, vivemos com alguma paz. Juntamo-nos até os 4 para jantar ou fins de semana… nada mais natural que dois casais serem amigos, temos a farsa perfeita, até um dia… 

 

(Aqui podem encontrar uma possível versão do marido, foi escrita por alguém que eu gosto muito ler. É em tudo diferente do que eu escreveria, também por isso a acho interessante!)

24 thoughts on “A noite das amigas – vista por ela…

  1. Conseguiste…
    É dificil encontrar palavras depois de as ver (as palavras) assim manipuladas/usadas… às vezes fico na duvida se não usas as mesmas que o resto de nós… mas o efeito é…
    E depois este texto, foi como uma criança que eu vi crescer, para no fim, embora a reconheça, não lhe adivinhava o “tamanho”… És enorme😉

  2. Cd,

    Até corei… :$
    Não sei se me elogiaste ou não…
    Manipuladora? hum… não devia ser isto que querias dizer…
    Tu tb és enorme!😉
    (para quem não sabe, no norte chama-se “enorme”, qd se quer chamar otário)

  3. Quantas “elas” se escondem na farsa de um casamento, com medo de represálias. Porque a verdade dói. Especialmente quando essa verdade mexe com os principios morais de uma sociedade ainda ignorante a certos assuntos.

    Gostei.
    Vou ler a versão dele😉

  4. Ana,

    Infelizmente, muita gente vive de aparências… cabe a cada um de nós tentar mudar um pouco isso.
    Quando tivermos menos preconceitos, podemos todos ser mais felizes!

    Beijinhos

  5. Ola querida,

    Nova versão, e mais um maravilhoso post… Escreves muito muito bem. Adoro ler-te… tu sabes! (já sei que não o vais admitir, mas ok🙂 )

    É complicado lidar com tudo isto… As pessoas são tantas vezes prisioneiras nelas próprias! Ninguém tem a culpa… (será que não?? Talvez a sociedade…). Há um viver sem viver… há um viver a fugir e a esconder.

    Jantar de casais?? Partilha?? Só tu para escreveres tal coisa… eheheh… (upss, ando a abusar… kk dia… aiiiiii)

    Querida, ja disse tudo no post anterior, tu sabes o que penso… e sabes que adoro que chames à conversa estes assuntos “tabu”.

    Um beijo

  6. Cátia,

    Obrigada!
    Concordamos como sabes. Na verdade existe em cada um de nós uma parte que se resigna, por mais pequena que seja. Muitas são as fugas, dos mais variados tipos.

    Não sei bem pq chamo à conversa assuntos infelizmente ainda “tabu”, tenho dias, uns pq me apetece gritar que vejo, que me importo, outros tlv apenas para chocar… continuo rebelde… sem causa… ou com demasiadas causas, sei lá!
    😀
    Só eu? Deve haver ainda gente mais disparatada!😉 Tu não te estiques miúda… eu aviso, tu não ligas…
    Jantar de casais pois, queres situação mais cómoda? Afinal eram 2 homens e 2 mulheres… a farsa perfeita…

    Beijosssssss

  7. logo vi que tinha continuação…!
    soberbo.
    “Nós não amamos mulheres ou homens, nós amamos pessoas!” Está mt bem empregue e ditada!

  8. Porque te amo,

    Obrigada! Bom resto de Domingo para ti!

    Beijo.

    Fontez,

    Obrigada!
    Uma história pode ser contada milhões de vezes, será sempre diferente, consoante os olhos com que é vista, o humor com que é contada. A mesma história pode ter muitos fins diferentes, tudo depende do dia em que paras de contar. Não há fins felizes nem infelizes, há histórias mais ou menos completas…
    Quanto à frase ouvi-a mesmo…

    Beijo.

  9. Desde que deixaste o link no meu cantinho que venho aqui, já por várias vezes estive para deixar um comentário, porém só hoje resolvi dizer algo.
    Como sabes era assiduo visitante do teu anterior espaço e de novo me estou a viciar na tua escrita, por mais “tabús” que seja os temas (e só o são, uns mais que outros,porque nós os consideramos)acrescentas-lhe um perfume muito teu que nos faz reflectir, muito embora nem sempre concordemos mas já é importante pelo facto da reflexão provocada.

    Com amizade, beijinhos no coração.

  10. Viriato,

    Bem vindo. Obrigada pelas palavras!
    Confesso (hehe), que demorei a perceber de quem era o comentário😀

    Concordamos, os assuntos só são “tabu”, pq nós assim os consideramos.
    Quanto à reflexão, fico feliz que ela aconteça, incluindo a minha. Não acho importante que concordemos sempre, é pela diferença e pelo debate de ideias que crescemos.
    Nem eu concordo sempre comigo, as minhas verdades vão evoluindo, ou não, e gosto disso!

    Beijinhos.

  11. óoo balhamassanta!!!!!!!!!!!! martaaa com tanta coisa boa aí, nacional, tinhas de escolher o wordpress?? daaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhh!!
    Pronto.. tanto se me dá.. já sabes, onde estiveres, estarei. Onde fores,irei. Mas só de vez em quando claro. hehe
    Beijos

  12. Morgaine,

    óoo balhamassanta!!!!!!!!!!!! (:D )
    Esta porra é americana???
    Se eu soubesse mais cedo…

    Bem vinda, qd queiras ou possas… eu tou por aqui…

    Beijinhossssssss🙂

  13. Bom dia primota,

    Venho aqui devagarinho perguntar-te se estás bem… Tiveste um bom fim de semana???😉 eheheh. Ainda te mexes? Ou só mesmo os olhinhos?😀 Era para te visitar mais cedo, mas tava com medo que me pedisses ajuda…😀

    (Ando a arriscar-me muito não ando?)😀

    Venho dar-te muitos beijinhos e os votos de um optimo dia. Beijinhos

  14. Bom dia primota,

    É mais ou menos por aí… estou cheia de sono, apetece-me ir para casa e dormir o dia inteiro!🙂
    Se viesses mais cedo não te pedia ajuda… nem para isso tinha forças😀
    (andas, mas eu tou a dar-te crédito… mais tarde ou mais cedo pagas…😀 )

    Beijinhos para ti e um excelente dia e semana!

  15. eu fiquei na dúvida se trata-se de uma história ou estoria, foi tão bem escrito, tão lindamente sentida…
    Tenha uma boa semana, agradeço sua visita.
    =]

  16. Elza,

    Obrigada e bem vinda!
    Trata-se de uma estória, que julgo, infelizmente, contar muitas histórias!
    Boa semana.

    Beijinhos

  17. Uma história bem plausível. Gostei. As pessoas têm falado em tabus nos comentários. Neste teu blog não há tabus. Falas abertamente das coisas e é por isso que eu gosto de te visitar.
    Beijinhos

  18. Cris,

    Sim, acho-a plausível.🙂
    No texto anterior acabei por te responder como se fosse este. Com o tempo baralho as estórias… é da velhice!😛

    Há tabus nos comentários?! Quem?!
    Aqui, quero liberdade…

    Mas fiquei tristissima, eu que achava que vinhas cá pela minha simpatia.😛 Afinal é só porque sou desbocada…😦 Puffff😉 beijinhos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s