faz de conta

Depois de muito pensar e repensar, depois de escrever e guardar, depois de remoer tantos e tantos gritos, resolveu brincar. Brincar ao faz de conta.
Fez de conta que era outra, mas não soube deixar de ser ela. Fingiu e omitiu, destorceu, mas continuou a ser ela. Usou maquilhagem, pintou-se de cores diferentes, mas sempre continuou a ser ela.
Um dia acordou e percebeu que o Inverno estava no fim e a Primavera despontava pequenas flores nos campos, tinha-se esquecido de si mesma, com a plena consciência de quem era. Tornara-se fértil, aprendera a armazenar água e a regar as plantas para que crescessem sob o sol. O pasto seco contorcendo-se ao vento, deu lugar a um campo de malmequeres…
Mas os campos de malmequeres, nem sempre são férteis em histórias… por isso transformou-se em muitas outras, em muitos outros, foi quem lhe apeteceu… mas no fundo sempre era ela. Encontrei-a hoje e confessou-me… já não lhe ocorrem muitas estórias… tem malmequeres… mas quem quer saber de malmequeres?!

Pediu-me que vos dissesse isto: obrigada!

79 thoughts on “faz de conta

  1. Pois é, tentamos muitas vezes ser… fazer… ter… e esquecemos frequentemente quem somos de facto… talvez o mundo seja de faz de conta ou exija isso de nós… mas… quem não se encontra a si mesmo não encontrará a felicidade… também eu tenho teimado vezes sem conta ser… fazer… ter… e deparo por vezes comigo mesmo sem saber onde estou e para onde vou… Por tudo isto e pela reflexão que me proporcionas só posso dizer… OBRIGADO.

  2. Viriato,🙂 Obrigada pelas palavras, as que concordando ou não comigo, sempre são ditas com simpatia… sinto-as como um carinho de um velho amigo que nunca vi…
    É pelas palavras que aqui me deixam, pelo carinho de quem me tem acompanhado ao longo dos meses que precisei agradecer. Porque foi pela vossa mão que aliviei a minha bagagem, levo tudo comigo, mas tudo é mais leve…
    Não podia, nem queria estar mais tempo sem vos falar.
    Beijinhos!

  3. caio sofregadamente num marasmo…trago em mim o espanto do calor…escrevo-te na minha mente…loucas vontades..desejos infindaveis…proclamo a mim…deveres e preocupacoes…contorno os meus pecados…e elevo os teus….well amiga….vem dai…da um pouco de ti!!

  4. Bono,

    Ouve lá, mas de onde tiraste tu a ideia de que eu peco… hum???😛 😀
    É um prazer receber estes teus devaneios.
    Well… eu sempre dou um pouco de mim… pode é não ser evidente, pode ir camuflado…
    E tu? Dás de ti?😛

    Beijo.

  5. um post fabuloso de se ler e sentir.
    adorei um comentário em especial q dizia:

    “Pois é, tentamos muitas vezes ser… fazer… ter… e esquecemos frequentemente quem somos de facto… talvez o mundo seja de faz de conta ou exija isso de nós… mas… quem não se encontra a si mesmo não encontrará a felicidade”

    ser ou não ser, eis a questão!

    abraço a todos.

  6. Quando eu era pequenina e espiava o mundo atraves das grades do portão, pela altura da feira em frente à minha casa, havia sempre um vizinho meu que ia para lá vender algodão-doce. Um dia, resolvi sair … e fiquei a ver o velhinho transformar o açucar em nuvens, em mágica, em pedaços de carinho. Quando ficou pronto, mal podia acreditar! Agarrei no algodão e desatei a fugir.

    Lá de longe, o velhinho gritava: “Oh Aninhas, mas então e o dinheeeeeeiro?” Eu virei.me e respondi: “Nao quero! Nao preciso do dinheiro! Só o algodão-doce já é bom!”
    O velhinho gargalhou e logo respondeu: “É assim mesmo, não é Aninhas? Só o algodão-doce já é bom!”

    Depois… depois eu cresci… e comecei a ter de pagar pelo meu algodão-doce.

  7. Fontez,
    Menos… um post que diz que não ando inspirada, e que vos agradece a todos, apenas isso!🙂
    Também gostei do comentário do Viriato!
    Beijo!

  8. Ana,
    LOL😀
    De vez em quando, faz de conta que ainda é assim, que só o algodão doce é que conta!
    Obrigada pela partilha da história. É fantástica!😀
    Beijo grande!

  9. “De vez em quando, faz de conta que ainda é assim, que só o algodão doce é que conta!” – o problema é que já não tem o mesmo sabor. Foi.me tirado ou sei lá… E às vezes encho a barriga de algodão-doce para ver, se em algum momento, o sabor volta… mas em vão… não é o mesmo.

  10. Façamos o que fizermos, somos sempre nós a fazê-lo, não é? Até a ficção é real, porque sai de dentro de nós.

    Gosto muito de te ler. Não aceito os agradecimentos por algo que faço por gosto, nem te agradeço por algo que fizeste por ti!🙂

    Beijinhos.

  11. Os “pedaços de carinho” devem estar perdidos nalguma esquina das curvas que se fez de olhos fechados, enquanto dormia, sem ver a beleza das flores na primavera e o quanto o inverno pode ser maravilhoso nos seus tons cinza. Perdidos debaixo de alguma folha ou montinho de neve. Perdidos, escondidos. Só não estão mais perdidos do que quem não conseguiu encontra.los, vive.los e senti.los…

  12. Htsousa,🙂 Ás vezes a ficção pode até ter mais de nós… estamos “protegidos” dos pensamentos alheios, afinal de contas… era apenas ficção!
    Disseste uma grande verdade nessa tua última frase. É algo que faço por mim!
    Beijinhos!

    Ana,🙂 Os teus comments hoje, podiam todos ser transformados em post… estão… uau.
    Sem duvida quem nunca os encontrou, quem nunca os viveu, quem nunca os sentiu… quem foge deles, está mais perdido que eles!
    Beijos!

  13. nop…o meu desejo passa por uma tempestade…a furia das chuvas nao atormentam um botao do meu casaco…ja o meu inverno esta solitario e consciente…ta-se bem!!!gosto de ti!!! es uma chuva miudinha…hehehehe

  14. Só hoje?😛

    Enfim, são os dias cinzentos que me inspiram…. esta chuva miudinha, irritante. O ar sufocante lá fora. Este clima abafado. Curiosamente não está frio. Nem vento. Mas preferia… não gosto do tempo assim… dá.me a sensação que a qualquer momento as nuvens se zangam e disparam uma trovoada medonha.
    E lá se inundam ruas outra vez…

  15. “ja o meu inverno esta solitario e consciente…ta-se bem!!!” – se é isso que queres, de forma consciente, então deves estar bem!😉
    Chuva miudinha? hum… prefiro vento!😛
    Também gosto de ti, ainda que nem sempre te entenda… ou quase nunca!😛

  16. Ana,
    Não é só hoje, mas é especialmente hoje!😛
    Deve ser isso, os dias cinzentos… a chuva miudinha, o ar sufocante… o ar ameaçador das chuvas. Mas que te inspira… isso não duvido! Também pode ser… nahhhh… são os dias cinzentos!😉
    Beijocas!

  17. ah ah ah …marta…alentejana de freios…elevas mais uma vez o meu capital de confianca…dizes que nao me compreendes …que bom!!!temos de estar mais atentos…quero-te desconhecer ainda mais…venham as duvidas banais…sabes …gosto de ti es sim como o vento!!!

  18. ok…invisivel e o ar da montanha…o espaco entre universos…nada ou tudo que contenha materia se torna invisivel…digo eu…existem outras formas de te tornares colorida e visivel a quem te quiser ver…pintares as unhas dos pes…usares colares de varias cores…ja continuo…

  19. Bono,
    Ora duvidas banais… não sei amanhã chove, se faz frio. Que achas? Preferes Inverno ou Verão?
    … às xs é pelas banalidades que acabas por perceber quem está do outro lado… pelas banalidades espontâneas. Nos discursos treinados, qualquer um pode fazer um brilharete! 😉

    Ana,
    (Será? ops… não é uma duvida banal… nem sei se é duvida…)
    Eu acho que o velhote do algodão doce ainda te vê bem, apesar da idade avançada!😛

  20. … eu acho que passa apenas por acordar os olhos e abrir o coração. Unhas pintadas e apetrechos servem apenas para chamar a atenção do mundo e eu não quero chamar a atenção do mundo. Quero apenas a atenção dele. Do colo dele, das suas mãos a alisarem o meu cabelo em tardes cinzentas e do seu abraço quando as nuvens ameaçarem zangar.se.

    Marta, ok, fizeste.me rir. Não sei, eu tenho para mim que o velhote já não se lembra de quando me chamava Aninhas, nem de quando lhe “roubei” o algodão doce e fugi desejosa de o devorar, escondida debaixo das escadas da minha casa.
    Eu era feliz enquanto saboreava aquele algodão…

  21. Bono,
    E a tua sorte é que eu não ligo às asneiras que dizes!😛

    Ana,
    Claro que eras, eram “pedaços de carinho”!
    Com certeza o Senhor não esqueceu que depois de o “roubares”, ainda lhe disseste que não querias que ele te pagasse por isso!😛
    Há coisas que não se esquecem…

  22. fiquem le pelo algodao doce…eu vou comer comida a serio…gostava de ter nascido a dia settiii…para comer sempre o meu spaguetti!!!beijo marta…ate depois !!!……………………………………invisivel…

  23. … tu vês.me neste exacto momento? Nas palavras arranhadas e nas curvas das letras… nos pontos de exclamação, reticencias, mas nunca pontos finais!virgulas e às vezes interrogações (como agora)… Travessões só mesmo para continuar frases. Ligar Vidas. Pinta.me um sorriso na pintinha do i para dar alegria aos meus ais de lamento…. porque eles estão tristes e molhados pela chuva miudinha. Aquela mesma que me irrita!
    A minha mãe chama.me, é a unica que me vê o sorriso por detrás da pintura esborratada.

    fui.

    Beijo para ti.

  24. Primota,

    Tenho andado sem tempo, e por isso agora escrevo este comentario. Só agora porque acho que este post merece um comentario com (alguma) calma.

    Mas depois… decidi não publicar aqui. O teu comentario está no ticho… Passa por lá.

    Aqui, deixo-te um abraço

  25. Uma vez também sonhei um campo malmequeres…
    ai, não! eram margaridas, salpicadas de papoilas coloridas. Não interessa nada. Eram foores e pronto! Flores é o que a gente precisa, muitas flores para nos alegrarem o coração!

    Por aqui também encontro cores alegres… verdes, cor da esperança!
    E quem espera sempre alcança…
    … um beijinho
    que aqui deixo

  26. Ola primota, bom dia.

    Gostei dos teus comentarios por lá… Não sou especial agricultor, apenas demostro o quanto gosto das pessoas, e tu sem duvida és das especiais…

    Só não percebo duas coisas nos teus comentarios:
    – porque raio é que nao mereces “tanto”? (tanto???)
    – E porque é que dizes que no segundo comentario que meteste as patas na terra e comprometeste a cultura? Nahhh… nem penses…

    Gosto de poder dizer que gosto de ti,gosto da pessoa que fui descobrindo, e gosto de te ter por perto… E mai nada…😉

    Beijosss

  27. Ontem ouvi dizer que a tal: “moet chandon a epernay vintage dom perignon” sempre vem a caminho… uiii é desta que vou ficar a ver a dobrar… temos que combinar aí uma festa para essa altura…

  28. Primota,
    Bom dia!🙂
    É exactamente por isso que disseste que és especial!
    O não mereço tanto, é porque realmente não mereço, eu sou muito comum!
    As patas na terra é porque o meu comment em comparação com o teu post, eu pareço (como alguém diz), um elefante numa loja de cristais!
    Mas pronto, fiquemo-nos com o mai nada, que ficamos muito bem!😛
    Vamos ter festa?😀 Quando? A mim ninguém me diz nada, ninguém me convida para nada… ohhhhh… pobre de mim…😛
    Beijocas!

  29. Fa,
    Margaridas salpicadas de papoilas… hummm… a imagem é fabulosa e “devolve-me à lembrança o Alentejo!”😉
    Beijinhos!

    Tkm,
    Olá tb para si e um beijo para a viagem!🙂

  30. Estou a convidar-te porra… eheh…

    Gostei da imagem do elefante… tu e ele sao mt semelhantes de facto… se entrarmos pelo aspecto fisico entao… uiii.. eheh

  31. Já sabes que gosto de convites formais!😛

    Chamaste-me gorda? Ou simplesmente me imaginas com facilidade a atirar coisas ao chão e a passar-lhe por cima?😛 😉

  32. Convites formais?! Pronto está bem.. fa-lo-ei quando souber a data mas é preciso que o nosso amigo estrangeiro volte…

    Chamo gorda!😀
    O resto tambem imagino, mas não vou dize-lo aqui publicamente…😛

    Beijos

  33. Ai qui medo…

    Já num sou?? ohhhh sou sou… snifff snifff… diz lá qui sou especial… váaa láaa, por favoooorrrr… Era um sonho que eu tiiiinhaaa (sempre tive uma obcessão pela publicidade)

    Mas olha lá eu nao disse nada que tivesses dito.. apenas concordei.. eheh😛

  34. Bolas… comecei a ficar assustada… parecia um post de despedida e eu pensei: “Esta gaja não está boa da tola!”

    Depois de reler, percebi melhor. Não te sentes com inspiração, é isso? Não te ocorrem contos? Tipo, deu-te uma branca? É isso? Deixa… a seu tempo voltarão a surgir novas estórias, novos personagens.

    E, mesmo sem inspiração, podes sempre escrever um post a dizer simplesmente “Olá!”

    Beijocas e bom fim-de-semana

    Ah…e como te faltou a inspiração para novos contos resolveste remodelar este espaço. E eu… gostei da mudança! Está simples e arrumadinho!
    🙂

  35. Cátia,
    LOL
    O que tu tens é um pancadão! E isso torna-te especial… também… mas pouco ainda, que eu continuo um cadito a prender o burro!😛
    Pois… não disseste nada que eu tivesse dito!😛 😉
    Beijos.

    Fontez,
    LOL Eu é que Ticonto uma história.
    Beijo.

    Carracinha Linda,
    A primeira conclusão não é má… nem estou, nem nunca fui!😛
    Mas sim, a inspiração não anda muito por estas paragens. Em vez de vos dizer apenas isso, preferi fazer de conta que não dizia… dizendo!😉
    Obrigada por teres reparado no meu look. Tou jeitosa não tou?😀
    Beijocas e bom fds também para ti!

  36. Fontez,
    Sabes? Sabes mais que eu das minhas vontades então!😛
    Beijo.

    M.,
    Faz de conta que andaste!😦 Até Abril? Hummm… não percebi! :S
    Malmequeres? São flores do campo, tipo margaridas.
    Ah, e obrigada pelo “elogio” ao meu look, que fizeste lá no outro post!😉
    Beijosss!

  37. Engraçado que eu, quando li, pensei: “ela está só a encher chouriços”. E ninguém dizia nada disso nos comentários até quase ao fim. Depois veio a carracinha e tive a confirmação…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s