recordar

Não sei se é da chuva, se é por eu andar meio maluca e nada me sair com jeito, mas hoje apetece-me recordar um texto… é da casa antiga e a maioria de vós já o conhece, desculpem a repetição, mas apetece-me…
De algum modo este texto é dos meus favoritos entre todos os que já escrevi. Pela mensagem que vos quis passar e porque sei que alguns entenderam, pelo rumo que os textos tomaram… um rumo do qual me desviei nos últimos tempos… pelos gritos que se juntaram a este. Relembro-o talvez, por me ter perdido desse rumo… e cá está ele:

Fujo

Os olhos pesam-me, a pintura de vários dias amanhece assim, arroxeada, esborratada… odeio isto!
Os meus dias repetem-se, arrastam-se. Que raio faço aqui?… merda!
Não sei quem é esta que vive no meu corpo, que permite a maquilhagem! Sei que estou escondida em mim, preservando a menina que fui, aquela linda, a dos totós que sonhava com o príncipe! Eu não sou esta que agora aqui mora… não posso ser… recuso-me a ser…
A mão sobe-me até ao rosto, estou demasiado velha… alguém me cortou os cabelos, me tatuou a pele e ela deixou… essa fraca que me ocupou o corpo permitiu. Odeio-a tanto que sou capaz de a matar! Não sei quando fui invadida… sei só que nunca fui conquistada… estive a reunir forças, a traçar estratégias, e hoje vou reaver-me na calada da noite, enquanto dorme… hoje fujo…
A carne dorida que tenho em volta dos ossos, não a conheço… o que recordo são as pernas longas, os braços esguios a barriga lisa… esta coisa dorida que me desforma não é minha, apenas a máscara que alguém me impôs… vou pôr mais betume… desse que disfarça… desse que usei em tempos para me sentir bonita e que agora uso para esbater as novas cores com que me pintam…
Dói-me o corpo, mas a maior lesão foi feita na alma… foi sentir-me usada, ultrajada, destituída de todos os sonhos… não foi a juventude que me roubaram… foram os sonhos da vida que tive antes desta, no tempo em que acreditava nos outros, o tempo em que não sabia o que eram os olhos a baixarem-se à minha passagem… o que me dói é ter ficado invisível… o que me dói é a solidão!
Hoje é o meu ultimo dia aqui… hoje, haja o que houver eu fujo…

55 thoughts on “recordar

  1. Bem sabes que adoro este teu texto… dos melhores sem duvida…

    Disse e volto a repeti-lo:

    Os sonhos são facilmente destruidos pela brutalidade de alguem… alguem que amamos e que sempre pensamos que mudará… mudará hoje ou amanha mas mudará. Hoje prometeu que seria a ultima vez, veio, chorou implorou… e prometeu que iria ser diferente. Mas nunca é……. A fuga desta vida e a procura de uma vida melhor é a melhor solução… talvez a unica para alem da morte.

    O roxo é sinal, é sintoma, é causa e consequencia. A dor é apenas um reflexo… nao tanto fisico mas mais psicologico sim… a dor da alma é a mais profunda e vincada… é provavel que nao passe nunca.

    Beijinhos para ti

  2. ai que a catia esta inspirada…martita tu es invulgar …escreves e cantas um mundo tao proprio de cada um…amei reler este texto…
    caixas e baus de recordacoes…a simples fuga de um caminho mais facil…o desejar ser chulo da vida…e acabar por ser prostituido por ela…o anoitecer e serenata em filme de suspense…o acordar zombie num corpo qualquer…o nao ter luz natural num peito desfeito…a sombra que nos cresce por dentro e amaldicoa a imagem em que ves…existe sempre quem veja para alem da mascara…infrutifera visao essa…o desejo de ser silhueta tranpoe-se a vida e a alegria…e bom caminhar e bom recordar…deixar o tempo passar!!!

  3. Cátia,🙂 Sei sim…
    Eu é que já não sei nada… lembras-te que depois deste post tu escreveste um muito, muito bom e recebeste uma visita que te disse que éramos apenas miúdas que não sabiam do que falavam? Acho que ela estava certa. Não posso entender… não posso entender muitas coisas nesta matéria. Não entendo o agressor, mas não posso em verdade dizer que entendo a vitima…
    Não entendo nada…
    Beijo grande primota!

    Lil’ Ikky,
    Obrigada!
    Beijinhos!

    Bruno,
    A Cátia estava inspirada sim, e tu também… gostei muito das palavras, mas como lhe disse a ela, não sei nada!
    … Sei que o tempo que passa às vezes só serve para esconder as negras, como o “betume”… porque elas ficam!
    Beijo grande!

  4. Fui reler “escuto”… De facto um bom texto… hoje alterava alguns pormenores, mas a essencia é aquela.. quantas vezes ouvimos, vemos e nada fazemos? Depois vemos no jornal, ou alguem nos conta a sucedido e… nao poderiamos nós ter evitado??!

    Coragem para nós!!

    Não entendes? Pois… eu tambem não entendo… mas acho que o medo é uma razao inracional que nao se explica… apenas se sente e pronto

  5. 🙂
    Eu talvez alterasse também este… e provavelmente ia estragá-lo!😉

    Medo… pois… às vezes…
    Falámos do teu texto outro dia, a propósito de eu chamar a polícia por causa daquela situação… lembras-te? Disse-te que chamei, mas é pouco provavel que o volte a fazer… pelo menos naquele caso…
    Muitas vezes será o medo, outras a vergonha… outras as condições económicas… sei lá…

    Coragem para nós… são mais 3 horas!😦

  6. chovia sim…e ja te viste de ruiva…o que tu me fazes!!!
    o que vale e que de holandesa tens pouco…senao ainda poderiam pensar que estavas por aqui!!!

  7. Nem com som nem sem som… hoje num dá!😦 muita gente por aqui!
    Mais logo…

    Chovia? bom… sempre refrescaste os ânimos! Precisavas de água fresquinha. Ruiva? Já fui!😛 Mas faz muito tempo… não favorecia muito… também não é fácil!😛

    Já o doce… obrigada, mas não fui, tu é que foste, está linda a homenagem e podia ter sido escrita por uma mulher!😉

    Beijo.

  8. R.Filgueira,
    Escrevi-o a 20 de Maio de 2007, na 1ª casa onde me conheceu!
    Publicado e escrito no mesmo dia, como sempre faço, ou sai ou não sai.

  9. Ana,
    Foi na altura que o escrevi que parei de escrever sobre mim… que fechei, ou pelo menos assim o espero, um ciclo da minha vida. Foi por esta altura também que pensei seriamente em fechar o confesso, para que não me confundissem com os meus textos. Aqui é sempre ficção, ainda que tenha muita realidade, lá era sempre realidade, ainda que apresentada com alguma ficção…
    Beijo grande!

  10. oláá´
    pois é, eu já o tinha lido😉
    mas e bonito sim, aliás ainda me has-de dizer que textos teus não são bonitos?
    Obrigado por teres passado por lá🙂
    agora tens + dois cantinhos onde esperamos por ti e pelo teu comentário🙂
    beijinhosss

  11. Loirinha,
    Já o tinhas lido? Hummm… mas tu és novinha por cá… como chegaste ao outro blog? Pelo aniversário da Cátia talvez… pois…
    Obrigada, mas olha que eu tenho alguns ainda mais fraquinhos que a média!🙂
    Beijinhos!

  12. Ei… que a Catia nao seja cá chamada, sim?😛

    bom dia primota, espero que estejas bem…

    Gostava que hoje fosse dia de escrever… vamos ver se sai… e se tenho tempo.

    Beijosss

  13. E recordar é viver… diz a canção.

    E textos como este são sempre bons de recordar.

    Fez-me pensar como é fácil destruir os sonhos e a vida de alguém. Provocar uma ferida na alma que jamais sarará…

    Excelente, é apenas o que digo!

    Beijinhos, hoje menos amuada!

  14. Olá Marta🙂

    Já tinha lido este teu texto, está muito bom, como sempre. Obrigada por ajudares a divulgar o assunto e sensibilizares as pessoas para esta cruel realidade.
    Tenho vindo a adquirir mais consciência acerca deste tema, pois estou a trabalhar num projecto com o âmbito de tentar alertar as pessoas para este crime público e incentivar o não aprisionamento ao silêncio.

    Quanto à sugestão de escrevermos sobre os homens vítimas de violência, concordo plenamente. Também existem, sim! Segundo instituições, os números de queixas são bastante inferiores, mas não são reais como é óbvio. A vergonha faz com que as estatísticas não correspondam à realidade.

    Beijinhos e parabéns pelo post!😉

  15. (dona mana anda-me aqui a fazer publicidade ao meu cantinho? eu juro que não paguei nada… tou pobre😦 e a mana não deixa eu ir ao mealheiro😦 tia patinhas… buu :P)

  16. :O difamada? não foi nada… (não snifa)… afinal não é tio patinhas, hum…
    Tenho que pensar noutra personagem, mas de momento não estou a ver… hum.. metralhinha?
    😀

    Beijinho grande

  17. Olha Patrícia ela de metralhinha não ficava mal, mas que tal… Clarabela? Cheia de boas intenções, mas sempre a asneirar?😛

    Beijinhos e obrigada pelas palavras!🙂

  18. maga? eheh.. nao me lembrava dela…

    … mas a maga quer a moeda nº 1 do tio patinhas? aiii… tenho que esconder o meu mealheiro de ti… Bruxa primota? naaahh nao creio… acho que o pateta te encaixa melhor..😛

    Quanto à patricia, é mais tipo minie..😛

    Beijosss

  19. O pateta lá tem o seu charme, é patusco😛

    Mana, mais uma prova que és tio patinhas, ja andas a esconder mealheiro… ja admite :O
    😀 eu sou a minie😀 eu deixo😀

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s