fuga

Cartão de embarque. Leu mil vezes no pequeno rectângulo de papel que tinha nas mãos.
Sentada em frente a uma chávena de chá, tentava em vão dispersar os pensamentos, adivinhando as alegrias e as tristezas de quem chegava e bebia um café ao balcão sem tempo a perder… histórias diferentes da sua.
Engoliu um pouco do líquido fumegante, permitindo o rasto escaldante até ao estômago. Cartão de embarque. Voltou a ler. Voo DS1450, classe Y. A bagagem estava entregue… não voltaria atrás. Ela sabia que não o faria por mais que lhe doesse, mas depois de ver a mala seguir pela passadeira para lá do seu alcance, sentiu que não haveria volta a dar, iria!
Tinha o corpo dorido do cansaço. Revia as últimas semanas em pequenos filmes armazenados na memória, recuando até ao tempo em que não sabia que caminho tomar. Era tudo tão nítido. As vozes, os sorrisos… e por outro lado, a última visão da sua casa deixada apenas há duas horas estava distante. Havia fechado a porta deixando quase tudo. Trouxera apenas algumas roupas e meia dúzia de objectos pessoais. A sua vida, como sempre a conhecera ficara para trás.
Cartão de embarque. Queimava-lhe os dedos aquele pequeno papel. Cartão de embarque. Relia como se esperasse numa das leituras descobrir outras palavras.
Terminou o chá com uma calma inventada e seguiu em direcção ao posto de fronteira… desconhecendo se algum dia encontraria o caminho de volta a Lisboa.

42 thoughts on “fuga

  1. …podia ser uma pequena parte da historia de muitos de nos(eu incluido)e um deja vu …fartinho amiga…(so um desabafo pequenino)…como me reencontro num espaco onde as minhas memorias vivem no presente em mim?sao estes pequenos intervalos que custam mais…em que volto a saborear a realidade e o instante…o gozo indefinivel do momento…coloquei uma almofada debaixo do rabo e sentado no chao de pernas cruzadas decidi que o acordar sera sempre milimetricamente aproveitado…beijo!

  2. Bruno

    Podia e é. Poucos ou nenhuns serão os que nunca fugiram. Na verdade pouco importa se fugimos do país, da aldeia, da cidade, dos pais, do marido ou do amante, importa que fugimos quando nos sentimos em perigo e quando não sabemos o que fazer…
    Tinha saudades de escrever e acabei por escrever isto, não sei bem porquê, talvez porque estava a olhar para um desses cartões, colocados entre outras coisas na minha “parede de memórias”. Desta vez não me inspirei em ti. Quis uma personagem feminina… não sei do que foge, ou sequer se foge sozinha, sei apenas que foge, achei que talvez a entendesse depois de vocês me explicarem quem ela é, e tu fizeste isso! Deste uma possibilidade de quem poderá ser ela…😉

    Quanto a ti… aproveita cada acordar, cada momento, cada palavra, cada sorriso. Reencontra-te e reinventa-te se for preciso. Eu continuarei contigo…

    Beijo enorme!

  3. Decidi que a melhor solução seria desaparecer dali, fugir de casa. (…) Esperei que eles adormecessem e dormissem profundamente. Depois levantei-me devagar e sem fazer barulho para que continuassem a dormir. Peguei na velha mochila e coloquei lá dentro umas calças e uma camisola previamente escolhidas. Vesti a roupa do dia anterior que estava ainda em cima da cadeira e calcei as botas que estavam logo ali.

    Saí fechando devagar a porta atrás de mim. Apesar das ruas sinuosas e escuras e do lixo que se acumulava, corria a toda a velocidade. (…) Cheguei à estrada que conduzia ao bairro cansada. Parei mas não olhei para trás. Depois de recuperar o fôlego, continuei a correr, depois a andar. Andei mais de 3 kms para chegar à estação dos autocarros. Sabia o meu destino, mas naquele momento apenas queria afastar-me. (…) Quando faltavam menos de 10 minutos, fui comprar o bilhete. Entrei na estação, lá dentro estavam mais algumas pessoas a dormir no chão enrolados em mantas ou simplesmente encostados a parede. Dirigi-me cautelosamente ao balcão que era quase do meu tamanho. Bati no vidro para chamar a atenção e apareceu-me um homem bastante gordo e cabelo grisalho e barbas compridas. (…) A vida inteira por trás daquele balcão encarregou de o ensinar que não devia fazer perguntas, que quanto menos soubesse melhor. Deu-me o bilhete e voltei a sair para a paragem onde passaria o autocarro.

    Apeteceu-me mostrar-te algo que escrevi este fim de semana… Fiquei surpresa quando vi aqui este teu post… Andamos em sintonia?

  4. Cátia,
    😀
    Eu fiquei de queixo caído.
    Uma fuga, um personagem feminino, ainda que as idades sejam distintas (pareceu-me), um bilhete, uma ida, um fechar a porta deixando tudo…

    Há muitas coincidências nestes textos. Deve ser sintonia.😀

    Afinal, parece que é como disse ao Bruno no comentário anterior, todos nós fugimos, todos nós sabemos o que nos faz fugir… faz ou faria. 😉

    Beijo grande. Gostei muito de te ler!🙂

  5. Este meu texto ainda está sujeito a várias pequenas alterações que são necessárias, e não coloquei aqui todo o episódio, como é perceptível, mas achei que irias gostar de ler algo tão semelhante que escrevi estes dias…

    Ficou ali com uns necos tonis pelo meio, que nao era suposto, mas quem vai perceber o o wordpress?

    Todos fugimos alguma vez sim… Mas ha alguns que fogem toda a vida!

    Beijo grande

  6. 🙂 os bonecos foi por causa dos cortes que fizeste no texto. Acho eu.
    Acertaste, gostei de ler, assim como gostei da sintonia. Terá sido por acaso?😉

    “Todos fugimos alguma vez sim… Mas ha alguns que fogem toda a vida! ” – não podia concordar mais contigo!
    … espero chegar ao fim da vida e perceber que faço parte da primeira categoria e não da segunda…

    Beijo enorme!

  7. Por acaso? Sabes que costumo dizer que não acredito em coincidências… Agora o que poderá ter motivado, a verdadeira razão… nao estou a ver qual seja. Talvez em breve😉

    Acredito que pertenças à primeira categoria sim… Não te vejo nada na segunda… Nem que seja porque mandas dois berros e mandas todos irem ver se estás na esquina😀

    Beijoooo

    ps – Será que a Amy consegue vir dia 30? Isto tá complicado para os lados dela…

  8. Eu tb não acredito, mas também não estou a ver a razão.

    Acreditas que pertenço à primeira… já eu, temo muito fazer parte da segunda… é que os dois berros e manter tudo na linha, muitas vezes é também uma forma de fuga, pensa lá se não é!😉

    Beijosss

    Ps – complicado? aconteceu alguma coisa? não percebi.

  9. Nao vi a noticia toda, mas parece que andou a tareia com um jornalista (?) e por isso vai a julgamento… Sabes como é, devia estar na hora da dose…😛

    Sim, pode ser tambem uma fuga… E até acredito que as vezes o uses como tal… Mas nao acredito que seja o caso continuamente…

    Beijo para ti

  10. Bolas…
    Se for assim, já são duas as baixas naquele dia… alguma solução terão que arranjar… ohhhh😦 Amuei!!!

    És uma querida! Eu espero que não, pelo menos conscientemente não, mas sei que já o fiz.

    Beijo.

  11. “Fugir?¿?¿
    Avançar…

    que nao é o mesmo. Como sou passageira regular, tenho “passe” …
    Mesmo que, aparentemente, se de uma volta de 360º – nada é – exactamente igual.

    Definitivamente sou mesmo do verbo ir ;))

  12. R. Filgueira,

    Algumas fugas podem ser uma forma de avançar, mas creio que a maioria é apenas um esconderijo.

    Nada, é igual, nem na maior rotina.
    🙂 pelo que leio, também acho que é do verbo ir!

    Beijo.

  13. ui… sera o eco¿?¿

    nao acha que a fuga é só um adiar de algo – que mais tarde ou mais cedo – nos voltamos a deparar com o mesmo – tenha ou nao outra cara…?¿!¡

  14. R. Filgueira,
    🙂 Era asneira e não eco… mas já corrigi!😀

    Acho! É por achar isso que concordei com a Cátia, quando ela disse que havia pessoas que fogem a vida inteira. 😉

  15. Será a fuga a solução para todos os problemas? Para uns é a única solução sem sombra de dúvida. Mas quando o problema reside em nós… como é que podemos fugir?

    Raio de dia… não é 2ª feira mas parece ainda pior.

  16. Carracinha Linda,

    Eu sou muito boa em fuga… e diz-me a experiência, que não é uma boa solução. A experiência diz, mas eu faço por não ouvir, sabes como é…
    Acho que quando se foge quase sempre o problema está em nós. Daí ser uma má solução. Até nos podemos distrair um bocadinho com a paisagem nova, mas depois…

    Que hoje seja sexta… ou sábado!😉

    Beijocas!

  17. Tem-se visto a fuga por aqui…😛 E eu a pensar que iria hoje de manha ter a surpresa de um texto aqui… Enganei-me… snifff

    Bom dia primota!
    Beijinhos🙂

  18. Pois, realmente eu estou muito em branco… e fujo às letras… nahhh… são as letras que andam a fujir de mim!!!😉

    Boa sexta!😉

    Beijos!

  19. Bruno,

    Por cá deve ser a minha vontade de hibernar que faz as temperaturas descerem…
    … mas enquanto não hiberno, vou estando por cá e sabe sempre bem receber um beijo!

    Outro para ti! Fica bem!

  20. Bruno,

    Olha que eu já anotei isso no meu caderninho de exigências!😉

    Sim, a musica é linda! Cheia de memórias de outros tempos…

  21. ..sabes o que me apetecia agora?alem de outras prioridades como e obvio…um sacana de um cigarro…fez um ano que deixei de fumar e agora apetecia-me muito!!!


  22. Sabes, também fumava um… não por prioridade nem sequer por pressa… fumava-o pela calma.

    … já não tens erva medicinal?😛

  23. Correcção:

    1 – Essa musiquinha tocas para ela e para mim!! No tejo ta optimo…e se for a beber da minha garrafa entao… ui ui..

    2 – Deixaste de fumar … cigarros😛

  24. 🙂
    Eu já voltei… mas como não sabia deitei a pontinha fora! Olha, temos pena! mas deixa-me dizer-te, as cigarrilhas são daquelas fininhas, muito, muito, fininhas… ias ficar muito abichanado!

    E daí ficava bem!😛
    😉

    Beijo grande!

  25. Cartão de embarque

    pode ser uma porta a abrir-se para algo que nos espera ou por que se espera há muito.

    pode ser uma eternidade

    pode ser oz

    e pode ser o raio que me parta também que anda aqui um bicho estanho a morder aspirantes a escritoras.. tou como tu.. os verbos fogem-me. talvez seja altura de embarcar também

    de qualquer modo está para breve

    beijo

  26. M.,

    Vais partir outra vez?😦 mas voltas não voltas???
    É que tu não és aspirante, és uma escritora brilhante, que mesmo quando te consideras sem verbos, transbordas qualidade por cada letra!

    Espero que essa tua porta, seja para algo que esperes há muito! Que seja uma porta para a felicidade, para os verbos…!

    Beijo grande!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s