primeiro post do ano

2008 acabou igual a si mesmo, uma porcaria, mas acabou o que por si só me parece uma grande alegria.
Não vou fazer um balanço, vou falar dos porquês de ao longo do ano passado ter desaparecido por várias vezes. Além dos achaques de humor comuns a qualquer ano, 2008 foi rico em motivos para me apetecer, ou ter que desaparecer. Não estou a queixar-me, estou simplesmente a constatar, até porque eu sobrevivi-lhe, não foi assim com todos os que convivia diariamente.
Aquelas coisas que costumamos pedir pelo ano novo, como a saúde, o amor, a paz, o dinheiro… falhou tudo em 2008, directamente comigo e/ou com os que me são muito próximos. Foi dos piores anos de sempre. Deixou marcas.
É claro que não terminaram todos os problemas só porque terminou o ano. Na verdade nenhum terminou, transitaram todos para 2009, mas agrada-me esta possibilidade, estas páginas em aberto. Agrada-me este refresh. Não depende apenas de mim, mas depende também e principalmente de mim. Aceitar o que não tem remédio e não remediar o que tem, mas sim curar.
Para 2009 quero força. Para 2009 quero saber acreditar. Para 2009 quero aquela pontinha de sorte que me tem escapado. Mas principalmente quero sobreviver-lhe. Quero daqui por um ano dizer que todos os que me são importantes sobreviveram.

Um bom ano para todos!

Beijo
Marta

Nota: vou fechar os comentários deste post, desculpem. Mas sabem o que é? Precisava pôr algumas palavras por escrito, mas não quero falar delas… quero só deixá-las atrás das costas, tal como 2008!