margarida #8

Rodrigo lembrava-se da mãe ter falado no caso, mas os detalhes escapavam-lhe. Pegou no computador e resolveu pesquisar com os pormenores que lhe ocorriam. Não demorou muito a encontrar várias notícias. Abriu uma.
“Casal Português assassinado em Londres.”
“Manuel António Pimenta e Celeste do Rosário da Silva Pimenta, um casal de Portugueses residentes nos arredores de Londres foram encontrados mortos no passado dia 3 Fevereiro na sua residência pela única filha do casal.”
Rodrigo desviou o olhar do ecrã. As lágrimas turvavam-lhe os olhos. Limpou-as, respirou fundo e continuou.
“A mulher de 31 anos deslocou-se ao local após várias tentativas de contacto.
Pelo cenário encontrado pela polícia supõe-se que se terá tratado de um assalto que terminou em tragédia.”
Ele fechou a página e abriu outras, idênticas, nenhum desfecho, apenas a suspeita de assalto e a única filha a encontrar os pais executados por supostos assaltantes. Nada recente. Voltou ao google.
Margarida Pimenta – escreveu
Apareceram 2 perfis no facebook, abriu os dois, nenhum era dela. Os resultados seguintes levaram-no a uma médica e a diversos perfis profissionais, mais uma vez não se tratava dela.
Margarida Pimenta Londres – voltou a tentar.
Mais perfis em redes sociais, todos eles da infinidade de Margaridas Pimentas que existem no mundo. Mais médicas, algumas bailarinas, nenhuma era a sua. Pensava nela assim, a sua Margarida. Não percebia o segredo. Porquê esconder quem era? Porque não confiava em si? Também não compreendia como podia ter estado com ela tanto tempo sem a reconhecer quando para a sua própria mãe não tinha sido preciso mais de 2 ou 3 minutos.
Tentava lembrar-se da Guida, reconhecer-lhe algum traço, nada… absolutamente nada do passado, apenas a Margarida misteriosa, apenas a Margarida que não confiava nele, apenas a Margarida que amava.
Eram cerca de sete horas daquele Domingo e noite cerrada quando finalmente decidiu ir atrás dela.

Anúncios

10 thoughts on “margarida #8

  1. olha que não era Manteiguinha, era manteigas, tás a ver aqueles putos que de vez em qd têm uma bela ranhoca pendurada? Pois… é um desses! 😛

  2. LOL
    até parece que não me conheces, valha-nos Deus!!! 😀
    Além disso, sabes que os putos são cruéis entre si, nunca chamam aos outros coração de manteiga.

  3. Eu vinha ver se havia desenvolvimentos, e vi que não… Preparava-me para ralhar aqui nos comentarios e verifiquei que ou eu nao comentei este (apesar de o ter lido) ou tu apagaste-me o comentario… mas com não acredito na segunda opção (ate pq é um privilegio para ti ter os meus comentarios!!), safaste-te de eu vir cá reclamar…

    Pois bem, gostei do suspense… Aguardo mais, ja que ja passou mt tempo desde que escreveste este… 😛

    Muaaaah

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s