margarida #10

Margarida permaneceu em pé à porta.
“Não percebo porque é que escondeste de mim quem és.”
“Eu vim para cá numa espécie de fuga ao mundo. Não tinha intenção de me relacionar com ninguém, tudo o que eu queria era silêncio e que ninguém me perguntasse se estou bem. Que ninguém me dissesse que amanhã é outro diz e que o tempo cura tudo. Eu não te procurei, não te planeie, foste tu que apareceste na minha porta e eu não fazia ideia de quem fosses. Recebi-te assim.”
Com estas palavras retirou a mão direita do bolso do sobretudo e nela podia ver-se a pequena pistola apontada ao tecto. Rodrigo deu um passo atrás e instintivamente elevou as mãos. Margarida avançou para dentro de casa e pousou a arma em cima da mesa, perto dele e recuou.
“Não te estou a ameaçar Rodrigo, estou a contar-te que te recebi de arma na mão sem tu o saberes, não para te atacar, mas para me defender se fosse preciso. É esta, a da arma no bolso que sou, não a Guidinha da Celeste. Eu só percebi que eras o Manteigas a páginas tantas do dia, querias que dissesse o quê? Que tenho estes cornos todos fodidos? Não se adivinhava? Pensavas que era por ser a pessoa mais estável do mundo que vivia aqui como um eremita?”
“Podias ter-me dito depois, em qualquer um dos dias em que adormeceste nos meus braços, podias ter-me dito nas tantas vezes que te pedi que me falasses de ti. Podias e não o fizeste. Sinto-me traído porra.”
“Podia… mas eu sabia que no dia em que te dissesse te perdia. Sou egoísta, acrescenta aí na tua lista.”
Ele não a contradisse, ela foi até à lareira e começou a atear o lume.
“Quando saímos daqui era uma miúda, tive uma infância normal, feliz, cresci, tive os meus namorados, nada sério. Formei-me em gestão, casei com 26 anos com o namorado da faculdade, divorciei-me com 29 e segui em frente. Encontrei os meus pais mortos com 31. Recompus-me como pude e segui em frente, voltei a apaixonar-me aos 35. Era o homem da minha vida pensava na altura e menos de dois anos depois, a poucos meses do casamento, antes de lhe poder encontrar muitos defeitos, numa madrugada de verão, adormeci ao volante e matei-o. Tentei recomeçar uma e outra e outra vez e não consegui. Nos últimos anos dividi-me entre Londres e Lisboa, até que por fim foi impossível manter o emprego. Vendi todos os meus bens, incluindo os que tinha herdado dos meus pais. Comprei dois apartamentos nos arredores de Lisboa que aluguei e comprei esta casa. Faço uma vida económica, as rendas chegam-me para pagar as minhas despesas. Não tenho filhos, nem irmãos, a restante família eu fui alienando ao longo dos anos, os poucos que estão vivos perderam-me o rasto há muito tempo. Sou só eu. Por muito tempo pensei que não fosse possível nada além disto. E de repente apareces tu…”
Fitou-o.
“…e eu quis evitar essa pena que te vejo agora nos olhos.”

8 thoughts on “margarida #10

  1. 🙂
    ela acha que sim. é dessa pena que ela foge. Mas qd foges de uma coisa que encontras em todo o lado, talvez essa coisa seja tua e não dos outros…

  2. e é tão facil de esquecer, mas somos sempre nós o factor comum na nossa vida…
    (sou tão cheia de tretas. :P)
    já agora diz-me o que é que achas que ele está a sentir?

  3. Que o sentimento de traição que sentia acaba por não fazer muito sentido, que lhe apetecia abraçá-la e fazê-la esquecer (sou uma romântica idiota), embora isso seja impossível…

  4. eu tb sou uma romântica (e estou-me a cagar se isso é idiota, aliás, não acho que seja).
    Sim, era isso que ele sentia. Queria mimá-la, dar-lhe colo.

    talvez ela não esteja preparada para isso…

    por outro lado, quais serão os fantasmas dele? o que o fez chegar ao 42 sozinho? Eu ainda não sei bem quem ele é…

  5. lol
    definitivamente romântica.

    nah
    Não acredito nUM amor. Isso era demasiado redutor e deixar-me-ia em grandes apuros. Acredito numa capacidade imensa de amar. Acredito que nos reinventamos em cada amor… acredito que ninguém chega aos 42 sem bagagem. Muito menos se estiver sozinho…
    gostava de o (Rodrigo) saber inventar…😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s