primeiro amor

Entrei no café e dei de caras com ele. No meu rosto abriu-se de imediato um sorriso rasgado e na minha memória voltei a 1991. Agosto de 1991.

Let me take you far away
You’d like a holiday

Eu estava de holiday, ele cantava-me ao ouvido. Eu tinha suspirado por Agosto o ano lectivo inteiro. Tinha fantasiado o reencontro de mil e uma maneiras. Mil promessas de amor eterno, mil primeiros beijos. Nenhum desses sonhos me preparou o coração adolescente para aquele passeio nocturno pelo jardim e para o ar dramático com que me olhou nos olhos e sussurrou:
“Pensei muito em ti…e em fazer isto.”
Imediatamente antes de me tirar o fôlego com um beijo, o nosso primeiro beijo.

Let me take you far away
You’d like a holiday

Planeava beber um café ao balcão, mas acabei por sentar-me na mesa dele e partilhámos um sorriso tonto.
Suspirei por ele ao longo da adolescência. Um amor deliciosamente sofrido e distante, um amor de Agosto, com sabor a férias e a sal… depois simplesmente crescemos e a mesma vida que nos deixou a viver na mesma cidade acabou naturalmente por nos afastar, nem sei bem como ou porquê, sei apenas que nos levou a seguir caminhos distintos, a viver outros amores…
Não o via há alguns anos. Sabia-o casado, pai de duas meninas, feliz. Trocámos galhardetes, mostrámos fotografias dos filhos e menos de meia hora depois seguimos as nossas vidas. A minha será sempre mais doce por ter aprendido a amar com ele, que me deixou de recordação um sorriso louro, por isso, ser-lhe-ei eternamente grata.

Exchange your troubles for some love
Wherever you are
Let me take you far away
You’d like a holiday