mais uma

Bonito, cheio de vida e de lérias. Perdi-me de amores logo nas primeiras larachas. Nem consigo pôr em palavras o quanto me envaidecia ele dizer-me ao ouvido:
“Não te pintes, és tão bonita para te esconderes nessas coisas.”
Enchia-me de beijos e de flores e queria-me para ele, só para ele. Que mais podia eu desejar da vida? Tinha o homem dos meus sonhos completamente rendido de amores a meus pés, os dias eram todos em tons rosa e pastel, suaves, suaves.
Não namorámos muito tempo. Para quê?! Como ele sempre me dizia éramos perfeitos um para o outro, não havia porque perder tempo e eu, era tão mais feliz do que imaginava ser possível que casei. Logo. Um casamento de princesa, um vestido cravado de rendas e brilhantes, e a festa foi das maiores que a terra já viu. A família dele não era rica, mas muito bem remediada e os meus pais também não pouparam com a sua única filha. Aliás, os meus pais estava a ganhar um filho, um que eles adoravam. A minha mãe disse-me vezes sem conta para não o deixar fugir, achava-o diferente dos outros namoricos que eu tivera… tinha razão.
A gravidez, a primeira, veio pouco depois, ficámos tão felizes… ele ficou ainda mais dedicado. Acompanhava-me sempre, fosse eu às consultas do médico, ao centro comercial, ao supermercado ou à mercearia. No dia em que fiz a ecografia em que se viu que era uma menina, chorámos os dois de alegria a olhar para o monitor e a ouvir-lhe o coração, rápido, tão rápido. Nesse dia, fizemos um jantar lá em casa para comemorar. Ele esbanjou charme e sorrisos e bebeu uns copos, era dia de festa, o meu coração estava tão cheio de alegria que me parecia querer saltar do peito. Lembro-me como se fosse hoje, quando toda a gente se foi embora ele veio na minha direcção, com um olhar vermelho que não lhe conhecia e num movimento que não pude prever as costas da sua mão acertaram-me em cheio na bochecha direita.
“Não penses que não te vi a olhar para ele minha puta.” – Berrou-me. Parecia possuído. Nunca percebi quem era o ele. Mas também não lhe perguntei. As lágrimas corriam soltas pela minha bochecha marcada, a minha bochecha que latejava como se fosse explodir.
No dia seguinte chorámos juntos, ele pediu-me perdão, explicou-me que me amava tanto que não podia sequer pensar em perder-me, jurou que nunca mais aconteceria e que me iria recompensar. Quando contei à minha mãe, ela chorou comigo e aconselhou-me a ter calma. Ele era sempre tão meu amigo, tão dedicado, tão bom marido… disse-me que eu tinha uma vida boa e que não me podia esquecer que estava a poucos meses de ser mãe. Que seria de mim sem ele? E pronto, assim foi, perdoei-lhe e ele não me voltou a bater, até a Inês nascer.
Depois disso foi o de sempre, bateu-me todas as vezes que lhe apeteceu e eu apanhei. Evitava sair nos dias em que tinha o rosto marcado e sempre que alguém via eu justificava com um qualquer acidente caseiro. Depois ele passou a bater-me só no corpo, gostava de me atirar ao chão e jogar à bola. Eu enrolava-me toda e sentia as costelas a estalar. Mentalmente rezava para que se cansasse num instante e não me levasse para a cama a seguir… nem sempre tinha sorte… foi assim que veio o meu rapaz.
Aguentei tudo e nunca mais contei a ninguém nada do que se passava. Até que um dia, tinha a minha Inês uns cinco anitos, quando ele vem para me empurrar ela meteu-se na frente… partiu-lhe logo um braço. Nesse dia quando voltámos do hospital e depois dele adormecer enchi-me de coragem e liguei pela primeira vez para a APAV…

2 thoughts on “mais uma

  1. E já foi tarde. Não faço ideia do que possa passar pela cabeça de uma pessoa que se deixa bater mais do que uma vez. A primeira devia ser o suficiente.

  2. Acho que os casos em que alguém vai embora depois da primeira vez são poucos. O charme, as lágrimas, o sofrimento, o “custou-me mais a mim do que a ti”… e já e sempre tarde… e os sinais? A dedicação extrema que se torna uma prisioneira, o ciúme…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s