sms

As letras brancas no fundo azul pareciam querer galgar o monitor. Conseguia lê-las ao som da voz dela.

Hoje é um daqueles dias em que queria falar contigo noite afora. Baixinho. Concentrada nos teus olhos. Redescobrir o teu rosto na ponta dos meus dedos, na palma da minha mão… beijar-te a espaços, engolindo-te as palavras que quisesse só minhas. Hoje, a cada “amo-te” que escutasse de ti, como o que sussurraste durante a tarde enquanto conquistavas o meu corpo rendido, permitir-me-ia, libertar uma lágrima de emoção, sem medo que a confundisses com dor e, se me perguntasses “estás bem amor?!”, como fazes tantas e tantas vezes, eu responder-te-ia “tão bem como nunca imaginei na vida poder estar!”

Leu-a mais uma vez, deu à chave e arrancou, aparentemente com toda a calma do mundo, mas sabia, pelo nó que sentia na garganta, que a sua vida nunca mais seria a mesma!