dias de Outono

Estacionei  nos restauradores sem problemas, há dias assim, em que o universo se conjuga e tudo parece saído de um guião onde nada pode correr mal. A luz de Outubro filtrada pelas árvores ainda verdes dão a tudo um tom amarelo esverdeado de fim de dia, ou talvez seja a cor das lentes dos óculos, não é importante, o importante é que ao sair do carro não parei na montra da Rosa Clará, não larguei umas pinguinhas pelos vestidos e até o arrumador me deixou estacionar em paz sem perder tempo. O que interessa é que as ilusões que se foram com a vida e os dias corridos, deram lugar a outras, mais físicas e palpáveis. O que importa é que desci o pouco que faltava da Avenida até ao Rossio e daí subi, sempre em passo acelerado até ao Largo do Carmo. Estava calor. Eu só queria frio e aconchego e… depois, muito suor.

Ela estava sentada numa das esplanadas, a do quiosque, à sua frente um copo de gin. Sorri para mim pelo cliché. Nunca gostei de modas, nem de gin. Abri um sorriso, pedi licença e sentei-me.

“Uma super bock por favor” – pedi passados uns minutos, depois de ter trocado com ela meia dúzia de palavras e a ter catalogado como pouco inteligente. Bonita sim, muito bonita. Pescoço comprido, lábios carnudos, olhos claros. Talvez uns 10 cm mais alta do que eu, curvas generosas, sei que gostas disso… mas sem duvida não seria qualquer tipo de ameaça para mim. Elogiei-a, mordisquei o lábio inferior enquanto a namorisquei e olhei para o relógio no meu pulso direito, estava na hora de sair dali. Tu estarias à nossa espera em menos de uma hora, no quarto cor-de-rosa, chamamos-lhe assim, alugamo-lo por uma noite, mas ficamos apenas umas horas, nunca a noite.

Paguei o gin e a super bock, combinei esperá-la no inicio da Avenida e daí seguimos. Mal arrancámos liguei-te, estava ansiosa por te contar que a minha mão tinha deslizado pelo meio da saia dela. Queria que soubesses que a senti quente…

Estacionei ao lado dela, atrás do teu carro, debaixo da amoreira. Bati três vezes e abriste a porta. Atrás de ti podia ver três copos de vinho. Beijei-te. Amo-te e sei que te terei mais tarde, depois dela ir embora, mas para já sei que a minha e a tua prioridade é a de a…!

4 thoughts on “dias de Outono

  1. Gostei muito! Andava com saudades… vou comentar depois melhor amanha… mas gostei do pormenor do “relógio do braço direito” e da amor(reira)!🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s