margem sul

Passei anos a ir para a margem sul todos os dias e nunca me senti atraída pela ideia de viver do lado de lá do rio. Pois é meus amigos, continuo no olho do furacão. Estou já a começar as malas e apesar do frio no estômago, estou cheia de esperança. Sinto-me a voltar a “casa”, realmente a começar de novo, já era tempo… até já. 😉

#a vida

Ontem falava com alguém de quem gosto muito, sobre vida morte e redenção. Têm sido recorrentes nestes meses estas conversas. Talvez tenhamos apenas o que precisamos, uns, o necessário para se redimirem, outros, o empurrão que precisavam para se “perderem”. Não lhe falei nisso, é uma espécie de surpresa envenenada em mim. O bombom com recheio estragado.

“… que me saiba perder, para me encontrar!”